Como a indústria 4.0 vai impactar a indústria do vestuário?

Conhecido também como a quarta revolução industrial, é um  conceito relativamente novo, que vem sendo amplamente estudado, discutido e posto em prática pelo mundo todo, causa receio em alguns e empolgação em outros.   

Mas o que  é a Indústria 4.0?

O termo indústria 4.0 surgiu em 2011, na Alemanha, e se refere a essa possível quarta revolução industrial que está ganhando forças para se concretizar e popularizar nos próximos anos.  Considerando as três revoluções industriais anteriores (vapor, eletricidade e tecnologia) caminhamos agora para outra grande mudança nos moldes de mercado, essa mudança tem como característica a integração das diversas tecnologias, físicas e digitais, visando uma indústria mais automatizada, rápida, assertiva e com o menor impacto ambiental possível.

 

 

Como a indústria 4.0 vai impactar a indústria do vestuário?

A indústria 4.0 deixou de ser um conceito distante já há algum tempo, e cada dia ganha mais força e novos adeptos,  a certeza de que o presente e futuro da indústria dependem diretamente da tecnologia causa um alerta no setor de moda, pois como um levantamento da Confederação Nacional das Indústrias (CNI) divulgado em 2017 aponta  a indústria do vestuário e acessórios ainda é uma das que menos usa tecnologia em seu processo produtivos: apenas 29% das empresas nacionais adotam inovações e tecnologias em suas fábricas.

Com essas informações pode-se concluir que os próximos anos serão marcados por uma adaptação da indústria do vestuário à tecnologia, uma corrida contra o tempo em busca de inovação, já que algumas das vantagens trazidas pela mesma são  o aumento da produtividade com processos automatizados, sustentabilidade e assertividade.

 

Como o Coleção. Moda colabora com a indústria 4.0?

A plataforma online Coleção.Moda, surge como uma opção de inovação tecnológica voltada para atender as necessidades do estilista, dispondo de ferramentas que automatizam funções do desenvolvimento de produto como por exemplo, o mix, a ficha técnica e o pré custo das peças. O que torna a criação e a gestão básica mais rápidas, assertivas e sustentáveis.

O  C.M  conta também com um sistema de integração entre diferentes áreas visto que além da indicação de tendências baseada em inteligência artificial e da praticidade em controlar visualmente as peças idealizadas ainda conta com Product Lifecycle Management (PLM) um conjunto de processos que gerenciam o ciclo de vida inicial do produto da concepção à fabricação, reduzindo o time-to-market e aumentando a  economia através da integração do fluxo de processos do desenvolvimento e engenharia de produto.

 

Escrito por Taís Perkoski