em Coleção.Moda

Saiba agora como organizar uma ficha técnica e garantir assertividade na sua coleção de moda.

Nas indústrias e ateliers de moda pelo Brasil,  existem diferentes métodos e ferramentas para idealizar e confeccionar uma coleção de moda. Sem as limitações impostas pela padronização do trabalho, em alguns aspectos de ordem técnica essa diversidade de práticas, pode transformar-se em um problema, e causar grandes prejuízos às empresas.

Ao contrário da etapa da criação, em que à liberdade de escolher como desenvolver seus projetos pode ser mais eficiente, no desenvolvimento da ficha técnica as coisas mudam completamente,  criar uma ficha com informações confusas, dados faltantes, ou não desenvolver a mesma, pode prejudicar o andamento da coleção gerando atrasos, prejuízos com matéria primas e comprometer sua coleção completa.

Pensando nas dificuldades que muitas empresas da indústria encontram na hora de montar uma ficha técnica, vamos aqui facilitar seus processos listando 5 passos necessários para a criação da ferramenta.

Uma dica importante é que esses são pontos imprescindíveis para qualquer criação de moda, dependendo da empresa ou segmento outros campos podem ser adicionados, mas os listados aqui são a base para uma criação assertiva.

1° Passo: Desenho técnico

 

Você já sabe o que quer criar? Faça o desenho técnico. Você ainda não sabe o que vai criar? Teste com o desenho técnico.

Já mencionamos por aqui a importância da criação do desenho técnico e temos dois posts explicando como criar um desenho técnico no editor de imagens Adobe Illustrator, e como colorir as peças no mesmo editor.

A ficha técnica da peça é uma intermediadora de etapas, ela comunica o que a estilista idealizou para o que a modelista/costureira precisam fazer para chegar no resultado esperado. Muitas empresas ainda criam suas fichas técnicas sem um desenho técnico, utilizando  apenas imagens de referências para embasar suas ideias, porém na hora da confecção a falta de detalhamento da imagem de referência pode gerar uma série de confusões levando a reprovação de peças piloto e gastos desnecessários de tempo e matéria prima.

O desenho técnico pode ser feito manualmente, mas quando feito de maneira digital leva menos tempo, é mais fácil de ser armazenado até mesmo como histórico para peças futuras que sejam similares e mais fácil de alterar caso haja necessidade.

Devido à todos esses motivos, consideramos esse o passo mais importante e o ponto de partida para a criação de uma ficha técnica otimizada.

Dica: Faça o desenho técnico em cima de um boneco modelo (disponibilizamos a versão feminina e masculina para download gratuito).

Nesse desenho puxe setas e descreva os tipos de costuras, tamanhos de barras, tipos de decote, locais de pences, indique onde serão inseridos os aviamentos, demarque o espaço da estampa localizada (se tiver) e além de indicar com a seta pinte de cores diferentes se for utilizar mais de um tecido na mesma peça.

Pense em quem vai confeccionar as peças e tente deixar as informações mais claras o possível para que essa profissional não tenha duvidas de como executar a tarefa.

2° Passo: Variantes de cores

Recomenda-se antes de criar as fichas técnicas,  idealizar o mix e esboçar o que virá a ser o mapa de coleção para facilitar a visualização das peças e analisar se  as criações estão harmonizadas entre si. Com o mix criado você tem também as informações de variantes de cores, ou seja em quantas cores serão produzida cada uma das suas peças.

Após finalizar seu desenho técnico, copie a peça sem o boneco modelo que foi usado como base,  indica-se colorir a peça com as cores reais que ela terá após a sua confecção, ou adicione a estampa que ela vai receber, faça uma miniatura aproximada do que será a peça depois de pronta.

Se a peça tiver variantes de cores, comece fazendo pela variante que será pilotada, e em seguida copie novamente a peça e insira as cores ou estampas referentes às variantes.

Para a montagem do layout da ficha técnica, recomenda-se que o  desenho técnico ganhe maior espaço e destaque,  logo acima dele, no canto esquerdo, ficam dispostas as variantes de cores da peça em questão.

 

3° Passo: Informações do cabeçalho

A primeira informação disposta na ficha técnica é o cabeçalho, nele estarão as informações importantes da peça, que servem para organizar o trabalho, por isso é importante que essas informações estejam preenchidas corretamente, os principais dados pra inserir são:

Referência e descrição básica da peça

Nome da coleção e tema (se houver) em que essa peça se encontra

Nome da estilita responsável

Grade de tamanhos (algumas empresas optam em inserir essa informação em outros locais que não o cabeçalho, de qualquer maneira é importante que isso esteja descrito na sua ficha técnica)

Técnicas (processos diferenciados que essas peças possam passar, como por exemplo: estampa localizada, bordado entre outros)

4° Passo: Matéria prima

Pode ser  inserido entre o cabeçalho e as variantes de cores, ou depois do desenho técnico, o importante é que as informações estejam lá.  Conforme explicado no 1° passo é importante no desenho técnico sinalizar, pintando de cores diferentes quando houver mais de 1 tecido na mesma peça, quando isso ocorre o correto é identificar os tecidos por numerais, por exemplo: Tecido 01 e tecido 02. No campo de matérias primas na parte dos tecidos é importante que eles estejam em ordem numérica de acordo com o que foi sinalizado no desenho técnico.

É indicado nas matérias primas colocar tecidos e aviamentos separadamente, as informações necessárias são o nome  que identifique o tecido ou aviamento, a cor do mesmo, o nome do fornecedor, o códio de identificação para pedidos com o fornecedor, a composição e a quantidade utilizada na peça individual.

5° Passo: Observações

 

No fim da ficha técnica o último campo é o de observações, aqui é o lugar para colocar informações que não estão presentes no desenho e que são relevantes, por exemplo que a peça faz conjunto com outro produto da coleção, ou realçar pontos que foram alterados dando destaque a certas instruções.

Um espaço mais livre para tentar comunicar com exatidão como você precisa que a peça seja executada.

Plus: Opcional Foto de referencia

Para os adeptos da foto de referência, é bom salientar que não existe problema nenhum em utilizar esse recurso, bem pelo contrário quando somado com o desenho técnico aumenta ainda mais assertividade da ficha técnica pois ainda dá uma ilustração realista de como a peça deve ser.

Embora não seja obrigatório conter um foto de uma peça similar, é um recuso opcional que auxilia muito, então sempre que houver um detalhe mais complexo, que fuja de modelagens tradicionais, procure encontrar um produto similar para melhor ilustrar à modelista e costureira como essa tarefa deve parecer.

 

Com esses passos simplificados você consegue  criar uma ficha técnica assertiva, gaste 10 minutos preenchendo e ganhe mais tempo e dinheiro ao economizar nos prejuízos.

Para auxiliar ainda mais o seu desenvolvimento, recomendamos o uso do PLM fashion Coleção.Moda, as imagens exemplos utilizadas nesse post foram geradas pela  plataforma online Coleção.Moda, lá o preenchimento é feito em um formulário com campos separados em que as informações são organizadas e a ficha gerada de maneira automatizada, deixando o processo muito mais pratico e rápido e assertivo.

Agende uma demonstração e conheça nossas ferramentas.

 

 

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Bitnami