Você já mensurou quanto você perde de dinheiro quando não elabora o seu mix de produtos?

Mix de produto  é a variedade de produtos oferecidos por uma empresa, quando bem elaborado contribui diretamente com as vendas, fideliza clientes  e diminui os riscos de sobras e empate financeiro, mas como conseguir chegar no mix ideal e impedir o prejuízo? A gente te ajuda!

 

Dica 01: conheça seu segmento e público alvo:

Qual  tipo de produto o seu cliente está interessado em comprar?

Ao criar uma coleção é muito importante levar em consideração o que já sabemos do nosso consumidor, para por exemplo manter peças que possuem venda constante , lembrando sempre  de avaliar o tempo de vida do produto em questão.

Além disso, conhecendo o público fica mais fácil entender quais as tendências que ele estará buscando nas próximas temporadas e com isso saber quais peças terão maior probabilidade de vendas a serem inseridas na coleção.

 

Dica 02: Ferramentas a seu favor

Para um controle maior  do estoque existem métodos que auxiliam na categorização do estoque e  tem como objetivo deixar claro quais são os produtos mais importantes para a empresa.

Um desses métodos é a Curva ABC, que partindo de uma observação das vendas realizadas em um período determinado consegue calcular com precisão quais são os produtos mais vendidos, bem como categorizar em posições crescentes de vendas  todos os produtos do mix auxiliando a conhecer melhor o comportamento dos seus clientes.

 

Dica 03: Cuidado com os excessos

Muitos modelos em uma coleção geram dificuldade na hora do controle já que  deve se considerar, tamanho, cores e tecidos disponíveis para cada modelo.

Uma grande variedade de tecidos de diferentes fornecedores podem gerar um maior risco de estoque  devido as quantidades de compras.

Uma oferta de produtos exagerada pode ocasionar grandes prejuízos com estoque parado e produtos perdidos ou danificados, considere sempre o tamanho do seu negócio e o quanto será gasto com isso.

 

Dica 04: Pontos a serem analisados antes de definir o mix:

É importante se questionar a respeito dos preços que seus clientes estão dispostos a pagar por cada peça produzida e partindo disso repensar o quão lucrativa ela será, podendo assim definir se é viável oferece-la para venda.

Outro ponto a ser considerado é a demanda oferecida, que outro produto poderia incrementar  de maneira complementar as peças do seu mix? É sempre bom manter possíveis opções de produtos que resultem em compras casadas.

 

Dica 05: Definição de peças:

Alguns autores sugerem  porcentagens pré-definidas para a elaboração de um mix de coleção estável, mas   para melhor se adequar a cada empresa sugerimos uma análise mais aprofundada, de público e segmento.

Segundo Tremptow,  peças básicas devem ocupar cerca de 10% da coleção, enquanto peças de moda devem ser produzidas em maior escala chegando a cerca de 70% dos produtos, além deles 20% deve ser destinado as peças conceituais ou de vanguarda.

Importante salientar que no mix de produtos é a hora de compensar as possíveis perdas, onde mercadorias com maior saída são oferecidas com desconto , essa  redução na margem de lucro deve ser contrabalanceada com os ganhos em outros produtos.

 

Referências bibliográficas:

TREPTOW, Doris. Inventando Moda: Planejamento de Coleção. São Paulo: Doris Elisa Treptow, 2013.

 

Escrito por Taís Perkoski